top of page

O que agilidade, castanha de caju e uma grande perda na vida têm em comum?



Em julho de 2012, já há vários anos trabalhando com agilidade nas organizações, sabia bem que o tema se tratava de ciclos e experimentação, colhendo feedback constantes do cliente, possibilitando a entrega de valor antecipada, sob contínua adaptação.


Nessa época, meu pai, aos 71 anos de idade, iniciava um tratamento radical de hemodiálise, decorrente da baixa funcionalidade de seus rins, em função de complicações de diabetes.


A partir dali, durante os 02 anos seguintes, ele sofreu uma série de complicações bem agressivas. Amputou um dedo do pé direito, depois a perna, até que veio a falecer em setembro de 2015.


Eu morava em São Paulo, ele em Fortaleza, e desde as primeiras complicações da doença, viajava todos os meses, para acompanhar de perto seu tratamento. Éramos muito ligados e aqueles anos foram de muito sofrimento para nós dois.


Em São Paulo, aos finais de semana, eu, meu marido e nossos três filhos, costumávamos ir à feira de rua aos domingos. Meu filho mais novo, na época com 07 anos, costumava comprar umas bolachinhas de um dos feirante. Esse feirante, além das bolachinhas, também vendia castanha de caju.


Eu e meu marido, começamos a conversar sobre a castanha de caju, no inicio apenas por curiosidade, já que o estado Ceará, onde eu nasci e onde morava meu pai é o maior estado produtor de castanha de caju do Brasil e São Paulo, o maior mercado consumidor. Depois de algumas semanas conversando, sabíamos o bastante para que fosse despertado em nós o interesse de iniciar um ciclo de experimentação com o produto.


Todos os meses, quando viajava para Fortaleza, entre as visitas de um médico e outro com meu pai, comecei a reservar um tempo para pesquisar sobre a produção de castanha de caju na região. Trazia comigo no retorno para São Paulo, alguns kilos de castanha de caju para vender na barraca do nosso amigo feirante. Todas as semanas, ao visitá-lo, nos informávamos sobre como estava evoluindo a venda, o que os clientes comentavam etc. No mês que seguia, buscávamos ajustar o produto com base nos feedback recebidos. Seguimos nos adaptando por alguns meses, até que nosso amigo e já cliente, nos indicou para outros feirantes, que nos indicaram para outros e para outros…


Após um ano, já estávamos vendendo nossas castanhas nos melhores empórios de São Paulo com dois diferenciais em relação aos demais produtos no mercado.


1.) Nossas castanhas eram embaladas À VACUO. A embalagem a vácuo além de preservar as castanhas inteirinhas por mais tempo, possibilita maior durabilidade do produto.


2.) Nossas castanhas eram torradas SEM ÓLEO. Descobrimos logo no inicio do nosso processo de experimentação, que as castanhas de caju que existem no mercado, são em sua grande maioria, fritas no óleo, igual batata frita! Para fazer com que o produto fosse verdadeiramente saudável, como é a castanha in-natura, começamos a “torrar” nossas castanhas sem óleo, e constatamos que além de mais saudáveis, elas ficaram também mais saborosas.


Aprendemos algumas lições significativas, desse período de 03 anos, que gostaria de finalizar esse artigo compartilhando com você.


1.) Desse período de muita dor pela perda de meu pai, vimos surgir a oportunidade de iniciar um novo negócio familiar que seria logo, a principal fonte de renda da minha família. Mesmo nos períodos grande de sofrimento em nossas vidas, não devemos nos limitar à dor que estamos vivendo. Esses momentos podem trazer além da dor, oportunidades que somente conseguiremos aproveitar, se nos mantivermos abertos a elas.


2.) Um negócio, não necessariamente inicia de forma estruturada e planejada. Pequenas experimentações, são possíveis a qualquer momento e a aprendizagem que elas nos trazem, podem valer mais que qualquer plano estruturado. Colher dados continuamente e em tempo real, é uma excelente forma de ajustar continuamente o negócio.


A perda de meu pai, se por um lado trouxe muita dor, por outro abriu espaço para vivenciarmos a essência da agilidade, experimentando, aprendendo e ajustando, no nosso negócio de castanha de caju.


Você pode encontrar nossa castanha de caju, no nosso site.


e nos siga no Instagram:


Será um prazer levar nosso produto e nossa história até você!

0 visualização0 comentário

댓글


bottom of page